Filmoteca

“No Trilho de Malangatana – Do legado à memória” em versão legendada em inglês

“No Trilho de Malangatana – Do legado à memória” em versão legendada em inglês

Moçambique

2023

Lurdes Macedo

Co-produzido pelo Museu Virtual da Lusofonia (CECS - UMinho) e pela Fundação Malangatana Valente Ngwenya.

Português – Inglês

Documentário realizado por Lurdes Macedo e co-produzido pelo Museu Virtual da Lusofonia (CECS – UMinho) e pela Fundação Malangatana Valente Ngwenya.

O eixo à volta do qual gravita toda a narrativa do documentário é o extraordinário conjunto escultórico “A Sagrada Casa dos Madjaha”, obra de Malangatana votada à degradação e ao esquecimento num subúrbio de Maputo. A partir deste exemplo particular, faz-se uma revisitação à vida e à obra do criador moçambicano de modo a fundamentar a necessidade de preservar não só o conjunto escultórico, como a sua memória e o seu legado. O documentário, com a duração de 25 minutos, foi rodado em Moçambique em junho de 2017, pré-editado na Universidade do Minho no mês de agosto seguinte e pré-testado junto aos agentes moçambicanos que nele participaram em outubro do mesmo ano. A edição final foi realizada nos Estúdios do Canal 180 no primeiro trimestre de 2018, tendo a ante-estreia do documentário ocorrido no Museu Nogueira da Silva, em Braga, a 6 de Abril do mesmo ano.

No dia 22 de setembro de 2023 realizou-se o lançamento da versão legendada em inglês de “No Trilho de Malangatana – Do legado à memória”, na Galeria do Paço – Rede Casas do Conhecimento, da Universidade do Minho. O lançamento, para além da exibição em estreia absoluta desta versão, contou com um debate, transmitido simultaneamente em Braga (Portugal) e no Centro Cultural de Matalana (Moçambique). Com uma apresentação inicial por Isabel Macedo, Diretora do Museu Virtual da Lusofonia, o evento foi moderado por Rosa Cabecinhas, investigadora do CECS, seguindo-se as intervenções de Lurdes Macedo, realizadora do documentário e investigadora do CICANT e do CECS, assim como de Mutxhini Malangatana Ngwenia, Presidente da Fundação Malangatana Valente Ngwenia. A sessão terminou com o comentário de Sheila Khan, investigadora do CECS, e a alocução final por Moisés de Lemos Martins, investigador do CICANT e do CECS e ex-diretor do Museu Virtual da Lusofonia.